A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) captou R$ 270 milhões junto ao Ministério das Cidades para realização de serviços nas áreas de esgotamento sanitário, em Fortaleza, e abastecimento de água, em Itapipoca. O recurso também vai financiar a elaboração de estudos e projetos para a expansão dos sistemas de esgotamento sanitário em outros cinco municípios, são eles: Cascavel, Caucaia, Fortaleza, Guaiúba e Pacajus.

Com os recursos, a Cagece vai ampliar o sistema de esgotamento sanitário em oito bairros da capital: Passaré, Castelão, Dias Macedo; Mondubim, Parque Dois Irmãos, Jardim Cearense, Dendê e Itaperí. O objetivo é ampliar a cobertura de esgoto em Fortaleza: “ Do total captado, R$ 250 milhões serão destinados às obras de ampliação do sistema de esgoto em Fortaleza, que beneficiará 111.972 mil habitantes, representando um incremento de 4,15% na cobertura de esgoto na cidade”, informa Abigail Lino, superintendente de Planejamento e Captação de Recursos da Cagece.

A estação de tratamento de água de Itapipoca será duplicada para melhor atender a crescente população da cidade. Já a elaboração dos projetos de esgotamento sanitário objetivam, juntamente com as outras obras, a universalização dos serviços nos municípios contemplados.

A superintendente explica que o recurso captado trata-se de um financiamento que será firmado entre a companhia e a Caixa Econômica Federal, operadora do Ministério das Cidades. De acordo com ela, o Ministério das Cidades aprovou os documentos apresentados pela companhia e, a partir de agora, tem início a fase de análise dos projetos e termos de referências por parte da equipe da Caixa.

Os recursos captados pela Cagece são provenientes do programa Avançar Cidades – Saneamento, do Governo Federal, que disponibilizou R$ 2 bilhões para todo o Brasil. Além do Ceará, o programa contempla o Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Dos onze projetos que a Cagece submeteu à seleção, sete foram aprovados. Dentre os critérios de avaliação da seleção, o ministério verifica se a companhia detém a concessão do município, se o município possui Plano Municipal de Saneamento Básico e ainda se a proposta tem projeto básico elaborado.

Apesar do recurso aprovado pelo Ministério das Cidades, Abigail Lino ressalta que os esforços empreendidos pela companhia na busca pela universalização devem continuar: “A diretoria da Cagece está sempre nos desafiando a procurar opções de captação de recursos para implantação, ampliação e melhorias operacionais em nossos sistemas de água e esgoto. Estamos atentos às oportunidades, atualmente, além dessa seleção do Ministério das Cidades, temos outras três frentes de captação de recursos em aberto, que se confirmadas significam cerca de R$ 1 bilhão para investimento em obras, aquisições e serviços”, conclui.


COMENTE ABAIXO

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.