25.1 C
Itapipoca

Nós Itapipoca

Governo do Ceará decide: as mercearias podem funcionar na capital e interior

Esses estabelecimentos são essenciais para a vida das populações mais desassistidas, diz o presidente da FCDL, Freitas Cordeiro, ao secretário do Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior.

mais lidas

Informação do secretário da Casa Civil do Governo do Ceará, Élcio Batista, transmitida, por uma rede social, aos empresários varejistas pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior: as mercearias – que vendem de tudo, inclusive alimentos e produtos da hortifruticultura – estão liberadas para funcionar normalmente na capital e no interior do Estado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Esses estabelecimentos, segundo o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL), Freitas Cordeiro, são essenciais para a vida das pessoas residentes nos bairros e subúrbios as cidades.

Freitas Cordeiro fez um apelo ao governo, por meio do secretário Maia Júnior, no sentido de que a comunicação oficial reforce a importância das mercearias na vida das comunidades, pois são elas que abastecem as camadas da população menos favorecidas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“O pobre não conhece Loja de Alimentos, ele conhece e frequenta as bodegas e mercearias, onde ainda vigora a caderneta e o velho vale” , afirma Freitas Cordeiro, para quem a  comunicação do governo deve também centrar foco nas mercearias.

Por sua vez, as redes de supermercados foram instados neste sábado pelo secretário Maia Júnior a tomar providências no sentido de que seja melhor organizado o fluxo de pessoas nas suas lojas.

“Tem havido superlotação nos supermercados e isto é incompatível com a orientação das autoridades da saúde, que querem evitar a proliferação do coronavírus”,explicou Maia Júnior.

Ele sugeriu aos empresários Severino Neto, da rede Mercadinhos São Luiz, e Honório Pinheiro, da rede Supermercado Pinheiro, que, para dar ordem ao fluxo de pessoas em suas lojas, deveria ser feito aqui o que já é feito na Alemanha: a colocação de adesivos no chão daloja – searados um do outro por ummetro de distância.

“Isso já existe em algumas de nossas lojas, mas estamos ampliando essa providência para as demais lojas”, informou Honório Pinheiro.

Severino Neto disse ao secretário Maia Júnior que está em contato com seus colegas do setor para adoção de providências que facilitem o fluxo de pessoas aos supermercados, evitando as aglomerações.  

Fonte: Diário do Nordeste

COMENTE

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

últimas notícias

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!