Presidente Lula abre 78ª Assembleia Geral da ONU em Nova York

Lula retorna à ONU após 20 anos para discurso histórico; reuniões com líderes internacionais marcam sua agenda

Publicidade

Mais lidas

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, está de volta à Organização das Nações Unidas (ONU) para abrir a 78ª Assembleia Geral, seguindo a tradição de 73 anos que coloca o governo brasileiro na posição de destaque neste importante fórum global. Acompanhado por uma comitiva de 12 ministros, Lula fez seu discurso nesta terça-feira às 9h, horário local (10h no Brasil), marcando seu retorno após 20 anos e 14 anos desde seu último pronunciamento como presidente do Brasil.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Esta será a oitava vez que o líder brasileiro assume a responsabilidade de inaugurar a Assembleia Geral da ONU, reforçando o papel de destaque que o país desempenha nas discussões internacionais. Sete ministros da comitiva brasileira também participarão de eventos relacionados à Assembleia, enquanto outros ministros cumprem agendas oficiais na cidade.

Antes de seu discurso na ONU, Lula já está ativo em uma série de reuniões com líderes internacionais. Na segunda-feira, ele se encontrou com o ex-primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, e com o presidente da Confederação Suíça, Alain Berset. Essas reuniões pré-Assembleia Geral são oportunidades cruciais para discutir temas globais e estreitar laços diplomáticos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O domingo de chegada a Nova York também foi repleto de atividades para o presidente Lula. Ele participou de uma reunião com empresários e de um jantar oferecido pelo presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes, fortalecendo os laços comerciais entre o Brasil e líderes empresariais internacionais.

Para o dia 20 de setembro, está agendado um encontro bilateral entre o presidente Lula e o líder da Ucrânia, Volodimir Zelensky. Este será o primeiro encontro entre os dois líderes desde a posse de Lula. O Brasil, juntamente com a Índia e a China, tem adotado uma postura de neutralidade no conflito entre a Ucrânia e a Rússia, e a reunião é aguardada com grande expectativa, uma vez que o encontro não ocorreu na Cúpula do G7 em maio deste ano, no Japão.

No mesmo dia, Lula será recebido pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em um evento já previamente planejado. Os dois líderes lançarão uma iniciativa global para a promoção do trabalho decente, reforçando a cooperação entre Brasil e Estados Unidos em questões fundamentais para o desenvolvimento e a justiça social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!