Aumento de casos de COVID-19 no Nordeste preocupa autoridades de Saúde

Estados da região registram crescimento durante a Semana Epidemiológica 49, alerta Boletim InfoGripe da Fiocruz.

Publicidade

Mais lidas

Estados do Nordeste do Brasil enfrentam um aumento nos casos de COVID-19, de acordo com dados da Semana Epidemiológica 49, disponibilizados pelo Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até 11 de dezembro. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (14) no Boletim InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O boletim destaca que, embora a Bahia tenha registrado um recuo nos casos após ser o primeiro estado a apontar a elevação, ainda mantém um crescimento nas novas ocorrências. Já no Ceará, os casos aumentam consistentemente semana após semana. Os estados do Maranhão, Paraíba e Pernambuco também apresentam sinal inicial de aumento, especialmente entre pessoas de idade avançada.

A Fiocruz alerta para o cenário preocupante nos estados mencionados. “Há sinal de aumento na Bahia, no Ceará, no Maranhão, na Paraíba e em Pernambuco em relação à SRAG por covid-19. No Maranhão, na Paraíba e em Pernambuco, o volume ainda é relativamente baixo, e o ritmo de crescimento é leve, indicando possível início de ciclo”, informou a fundação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A situação se agrava com a notificação de sinal de crescimento de síndromes respiratórias agudas graves por COVID-19 em longo prazo nos estados do Acre, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Piauí e Rondônia. Minas Gerais permanece em platô, enquanto estados como Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Piauí e Rondônia apresentam apenas oscilação.

Na análise por região, o centro-sul mantém a tendência de queda em relação à COVID-19, com Minas Gerais interrompendo o crescimento e permanecendo em estabilidade. O pesquisador Marcelo Gomes ressalta que, apesar de leve aumento recente em Espírito Santo e Mato Grosso do Sul, trata-se apenas de oscilação.

As capitais também estão sob alerta, com dez delas apresentando sinal de aumento, incluindo Aracaju, Campo Grande, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Maceió, Rio de Janeiro, Salvador, Teresina e Vitória. A Fiocruz destaca que, em algumas localidades, o aumento está relacionado especialmente à população de idade avançada, enquanto em outras, como Rio de Janeiro e Curitiba, o crescimento recente se concentra em crianças de 2 a 14 anos.

O Boletim InfoGripe reforça a importância da vacinação, especialmente para grupos de risco, e destaca que a incidência e mortalidade de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) mantêm o padrão típico de maior impacto entre crianças pequenas e pessoas idosas. No ano epidemiológico de 2023, foram notificados 168.852 casos de SRAG, com o Sars-CoV-2/covid-19 tendo a maior prevalência entre os casos de resultado positivo para vírus respiratórios. A Fiocruz destaca a necessidade de manter a vacinação em dia para proteção diante do atual cenário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!