Brasil atinge índice alarmante de mortes por dengue em 2023

Dados do Ministério da Saúde revelam 1.079 óbitos e apontam necessidade de intensificação de medidas de prevenção

Publicidade

Mais lidas

O Brasil enfrenta uma crise sanitária preocupante em meio ao aumento significativo de mortes por dengue em 2023, revelam estatísticas do Ministério da Saúde divulgadas hoje. Segundo informações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan online), o país já contabiliza 1.079 mortes pela doença até esta quarta-feira, ultrapassando os registros de anos anteriores.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A análise histórica, baseada nos dados do Sinan, destaca que o ano de 2022 detinha o recorde anterior, com 1.053 óbitos, seguido pelo ano de 2015, que registrou 986 mortes. O aumento constante desses números levanta questões sobre a eficácia das estratégias adotadas para conter a propagação do vírus.

Diante desse cenário alarmante, o Ministério da Saúde respondeu às indagações, indicando que aproximadamente 11,7 mil profissionais de saúde foram capacitados em 2023 para lidar com o manejo clínico, vigilância e controle de arboviroses. Em nota, o órgão afirmou que investirá expressivos R$ 256 milhões no fortalecimento da vigilância dessas doenças.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“O momento é de intensificar os esforços e as medidas de prevenção por parte de todos para reduzir a transmissão das doenças. Para evitar o agravamento dos casos, a população deve buscar o serviço de saúde mais próximo ao apresentar os primeiros sintomas”, alertou o Ministério da Saúde.

Além disso, como medida preventiva, o Ministério incorporou, em 21 de dezembro, a vacina contra a dengue no Sistema Único de Saúde (SUS). Contudo, a aplicação em larga escala será adiada, pois o laboratório fabricante, Takeda, informou ter uma capacidade restrita de fornecimento de doses. A vacinação inicial será focalizada em públicos e regiões prioritárias, com estratégias de utilização das doses previstas para serem definidas nas primeiras semanas de janeiro. A população é instada a estar atenta aos primeiros sintomas e procurar assistência médica para evitar complicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!