Consumidores de energia elétrica ficam livres de cobrança extra na conta de luz em julho

Aneel mantém bandeira verde e evita acréscimo nas tarifas de energia para o próximo mês

Publicidade

Mais lidas

No mês de julho, os consumidores de energia elétrica podem comemorar, pois a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu manter a bandeira verde, evitando assim a cobrança de valores extras na conta de luz. Essa medida beneficia todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e representa um alívio financeiro para os brasileiros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Desde o fim da bandeira de escassez hídrica, que vigorou de setembro de 2021 até meados de abril de 2022, os consumidores têm sido isentos dessas taxas adicionais na conta de luz. De acordo com a Aneel, a escolha da bandeira verde na época foi resultado das condições favoráveis de geração de energia, com os reservatórios das usinas hidrelétricas em níveis satisfatórios. Naquele momento, o nível de armazenamento médio dos reservatórios alcançou 87% no início do período seco, o que explicou a situação favorável.

Caso as outras bandeiras tarifárias fossem instituídas, a conta de luz refletiria o reajuste de até 64% aprovado pela Aneel em junho de 2022. Esses aumentos foram motivados pela inflação e pelo maior custo das usinas termelétricas, decorrentes do encarecimento do petróleo e do gás natural nos últimos meses.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

As bandeiras tarifárias foram criadas pela Aneel em 2015 e têm como objetivo refletir os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em diferentes níveis, elas indicam o custo atual da geração de energia pelo SIN, que abrange residências, estabelecimentos comerciais e indústrias.

Quando a bandeira verde está em vigor, não há acréscimo na conta de luz. Porém, com a aplicação das bandeiras amarela ou vermelha, ocorrem aumentos que variam de R$ 2,989 (bandeira amarela) a R$ 9,795 (bandeira vermelha, patamar 2) a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Durante o período de escassez hídrica, os consumidores chegaram a pagar R$ 14,20 extras a cada 100 kWh.

É importante ressaltar que o Sistema Interligado Nacional abrange praticamente todo o país, com exceção de algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além do estado de Roraima. Atualmente, existem 212 localidades isoladas do SIN, onde o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. Nessas regiões, a demanda por energia é suprida principalmente por usinas térmicas movidas a óleo diesel.

Com a manutenção da bandeira verde em julho, os consumidores terão um alívio financeiro e poderão usufruir de uma conta de luz sem cobranças extras. No entanto, é importante manter o consumo consciente de energia elétrica para garantir a sustentabilidade e o equilíbrio do sistema energético nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!