Jornalismo esportivo de luto: Silvio Luiz, Antero Greco e Apolinho deixam legado marcante

Narrador e comentaristas ícones do futebol brasileiro falecem em um intervalo de dois dias, deixando saudades e memórias inesquecíveis.

Portal Itapipoca Portal Itapipoca
2 Min Read
- PUBLICIDADE -

O universo do jornalismo esportivo brasileiro está em luto com a perda de três de seus grandes nomes em um curto espaço de tempo. Nesta quinta-feira (16), aos 89 anos, Silvio Luiz, conhecido por seus bordões memoráveis, partiu em São Paulo, após uma batalha contra complicações renais. Junta-se a ele Antero Greco, aos 69 anos, que nos deixou ontem (15), também em São Paulo, após enfrentar bravamente um tumor cerebral, e Washington Rodrigues, o Apolinho, que nos deixou na quarta-feira (15), aos 87 anos, vítima de um câncer agressivo no Rio de Janeiro.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Silvio Luiz, além de ser reconhecido como narrador, imortalizou-se pelas suas marcantes expressões durante as transmissões, como “Olho no lance”, “Pelo amor dos meus filhinhos” e “Pelas barbas do profeta”. Sua partida deixa um vazio no coração dos fãs do futebol e do jornalismo esportivo.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Antero Greco, renomado comentarista esportivo, deixou sua marca principalmente na ESPN Brasil, onde, ao lado de Paulo Soares, apresentava o programa SportsCenter. Seu legado vai além das telas, estendendo-se por sua passagem como repórter, editor e colunista do Estadão. Sua partida deixa uma lacuna no jornalismo esportivo brasileiro.

Washington Rodrigues, o saudoso Apolinho, deixa não apenas uma, mas várias gerações de fãs do futebol e do rádio com saudades. Conhecido por sua paixão pelo Flamengo e por bordões inesquecíveis como “Pau com formiga” e “Briga de cachorro grande”, Apolinho marcou época no rádio, especialmente com o “Show do Apolinho”, na Rádio Tupi do Rio. Sua passagem pelo Flamengo como técnico e diretor de futebol também é parte importante de sua história.

Com a partida desses três gigantes do jornalismo esportivo, o Brasil perde não apenas profissionais talentosos, mas também referências que moldaram a forma como o futebol e os esportes eram vistos e comentados no país. Suas vozes, seus bordões e seu amor pelo esporte permanecerão vivos na memória de todos que tiveram o privilégio de acompanhá-los ao longo dos anos.

Compartilhe
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Advertisement -

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!