Programa Autorregularização Incentivada de Tributos: Contribuintes têm até 1º de abril para quitar dívidas sem multas e juros

Iniciativa criada pela Lei 14.740 oferece oportunidade de regularização fiscal com desconto de 100% em multas e juros

Publicidade

Mais lidas

A partir desta terça-feira (2) até o dia 1º de abril, contribuintes com pendências junto ao Fisco têm a chance de quitar suas dívidas tributárias sem a incidência de multas e juros. O período marca o início da adesão ao “Programa Autorregularização Incentivada de Tributos”, criado pela Lei 14.740, sancionada em novembro de 2023.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A proposta permite que tanto pessoas físicas quanto jurídicas admitam a existência de débitos, efetuando o pagamento apenas do valor principal. Em contrapartida, os participantes do programa devem desistir de eventuais ações judiciais, garantindo o perdão total dos juros e multas de mora e de ofício, além da não realização de autuações fiscais.

A adesão ao programa implica em um desconto de 100% nas multas e nos juros, sendo necessário um pagamento inicial correspondente a 50% do débito, seguido do parcelamento do restante em 48 meses. Aqueles que optarem por não aderir à autorregularização estarão sujeitos a uma multa de mora equivalente a 20% do valor da dívida.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O processo de adesão pode ser realizado através do Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal (e-CAC). Caso o requerimento seja aceito, a Receita considerará a confissão extrajudicial e irrevogável da dívida.

É importante ressaltar que somente débitos com a Receita Federal podem ser autorregularizados, excluindo a dívida ativa da União, que é cobrada pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional na esfera judicial.

A Receita Federal publicou a regulamentação do programa na última sexta-feira (29), através de uma instrução normativa no Diário Oficial da União. O programa permite a inclusão, na renegociação, de tributos não constituídos até 30 de novembro de 2023, mesmo nos casos em que o Fisco tenha iniciado procedimento de fiscalização.

Quase todos os tributos administrados pela Receita Federal estão incluídos na autorregularização incentivada, com exceção das dívidas do Simples Nacional, destinado a micro e pequenas empresas.

Os contribuintes que aderirem ao programa poderão abater créditos tributários da CSLL, limitados a 50% da dívida consolidada. Além disso, será possível abater créditos de precatórios, tanto próprios quanto adquiridos de terceiros.

A instrução normativa estabelece que a redução das multas e dos juros não será computada na base de cálculo de diversos impostos, como Imposto de Renda Pessoa Jurídica, CSLL, PIS, Pasep e Cofins.

A Receita Federal também regulamentou os critérios para exclusão do programa, destacando que a não quitação de três parcelas consecutivas ou seis alternadas resultará na retirada do contribuinte da renegociação especial. Mesmo o não pagamento de uma única parcela, estando as demais quitadas, acarretará na exclusão da autorregularização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!