Morre aos 82 anos o ator Michael Gambon, conhecido por seu papel como Dumbledore em “Harry Potter”

Ator britânico de renome faleceu após luta contra pneumonia, deixando um legado marcante no teatro e no cinema

Publicidade

Mais lidas

O mundo do entretenimento perdeu uma de suas figuras mais queridas hoje, com a triste notícia da morte do aclamado ator britânico Michael Gambon aos 82 anos. O ator, que ficou famoso por seu papel como Alvo Dumbledore na saga “Harry Potter”, faleceu pacificamente no hospital na companhia de sua esposa Anne e seu filho Fergus após uma batalha contra a pneumonia, conforme confirmado em um comunicado oficial divulgado por sua família.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ao longo de sua distinta carreira, Gambon deixou uma marca indelével nas artes cênicas, conquistando uma legião de fãs e colecionando prêmios e elogios por suas atuações memoráveis no palco e na tela. Nascido em Dublin em 19 de outubro de 1940, ele cresceu em Londres e, desde jovem, soube que sua vocação era atuar, inspirado por ícones como Marlon Brando e James Dean.

Sua trajetória artística começou nos anos 1960, quando ingressou no National Theatre no Old Vic, ao lado de outros talentos emergentes, como Derek Jacobi e Maggie Smith. Gambon consolidou sua reputação no teatro, ganhando destaque por sua interpretação de Galileu em “A Vida de Galileu” de John Dexter em 1980.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além do teatro, Gambon brilhou na televisão com seu papel icônico na série “The Singing Detective” em 1986, demonstrando sua versatilidade ao interpretar um escritor atormentado por uma condição de pele debilitante. Essa atuação lhe rendeu um dos quatro prêmios BAFTA que recebeu ao longo de sua carreira.

No cinema, ele desempenhou papéis notáveis, incluindo um líder de gangue psicótico em “O Cozinheiro, o Ladrão, sua Mulher e o Amante” (1989) e o Rei George V em “O Discurso do Rei” (2010). No entanto, seu personagem mais icônico foi Alvo Dumbledore na série “Harry Potter”, a partir do terceiro filme da franquia, sucedendo o falecido Richard Harris em 2004.

Gambon foi honrado com o título de Comandante do Império Britânico em 1992 e foi nomeado cavaleiro por seus serviços ao teatro em 1998, embora tenha brincado que esse título era apenas “um pequeno presente agradável”. Sua personalidade travessa era conhecida, com histórias sobre suas brincadeiras, incluindo uma foto autografada de Robert De Niro que ele mesmo assinou antes de conhecer o ator americano e a alegação de que era amigo do papa.

Apesar de ter se aposentado do palco em 2015 devido a problemas de memória, Gambon continuou a atuar na tela até 2019, deixando um legado inestimável no mundo do entretenimento. Ele deixa para trás sua esposa Anne, com quem se casou em 1962, e uma rica história de contribuições para a arte da interpretação. Michael Gambon será lembrado como um dos grandes talentos da indústria do entretenimento, cujo trabalho inspirou gerações de atores e entusiasmou o público em todo o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!