Terremoto de magnitude 6,8 atinge Marrocos, deixando centenas de mortos e feridos

Cidade turística de Marrakech é epicentro do desastre; autoridades lançam alertas sobre danos econômicos e vítimas mortais.

Publicidade

Mais lidas

Um devastador terremoto de magnitude 6,8 abalou o centro de Marrocos na noite da última sexta-feira, com o epicentro localizado próximo à cidade turística de Marrakech. O incidente deixou, até o momento, pelo menos 296 mortos e 153 feridos, de acordo com o balanço oficial provisório divulgado pelo Ministério do Interior do país.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O comunicado do ministério informou que as províncias e municípios de Al Hauz, Marraquexe, Ouarzazate, Azilal, Chichaoua e Taroudant foram as mais afetadas, registrando o maior número de vítimas fatais. As equipes de resgate trabalham incansavelmente para buscar sobreviventes entre os escombros, enquanto os feridos são encaminhados para hospitais lotados de Marrakech.

O sistema Pager do USGS, que fornece avaliações preliminares sobre o impacto de terremotos, emitiu um alerta laranja para perdas econômicas significativas e um alerta amarelo para possíveis vítimas mortais relacionadas ao terremoto. Esse aviso destaca a vulnerabilidade das estruturas habitacionais na região afetada pelo desastre.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O Centro Nacional para a Pesquisa Científica e Técnica, sediado em Rabat, relatou que o terremoto atingiu a magnitude 7 e teve seu epicentro na província de Al Hauz, próxima a Marrakech. Cidades costeiras, incluindo a capital Rabat, Casablanca e Essaouira, também sentiram os tremores, que fizeram com que edifícios desabassem e a população saísse às pressas de suas casas em busca de segurança.

Além disso, os tremores foram sentidos em várias províncias do oeste da Argélia, país vizinho de Marrocos. No entanto, o departamento de defesa civil argelino descartou danos ou vítimas até o momento.

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram cenas chocantes de destroços caindo em becos estreitos, objetos sendo derrubados de prateleiras e o desespero das pessoas em estabelecimentos comerciais durante os tremores. A situação atual em Marrocos é de urgência, com as autoridades e equipes de resgate mobilizadas para enfrentar essa tragédia inesperada. A nação agora enfrenta o desafio de reconstruir e ajudar as vítimas a se recuperarem desse desastre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!