A chuva desta quarta (10) ocasionou enchente também em outros pontos da cidade, além do bairro Cohab, o mais atingido. Foto: Mateus Ferreira

Esta já é a terceira vez, somente neste ano, que a rua Pedro Moreira Braga, no bairro Cohab, em Itapipoca, sofre com as fortes chuvas. Na noite desta quarta-feira (10) outra enchente atingiu as famílias do bairro. “Nesta última vez a chuva veio forte e o nível da água ficou mais alto. Este riacho das Almas recebeu água de vários locais, além do Açude Poço Verde, que está cheio. A água escoa toda para essa rua”, relatou o morador Jonatas dos Santos.

Habacuk Mariano e seu filho dormiram no caminhão, veículo usado pelo autônomo para o trabalho. Os outros membros da família, incluindo um recém-nascido de quatro meses, dormiram em residências onde a água não atingiu. “Não tivemos condições de ficar dentro de casa porque o nível estava muito alto, estava na altura da cintura”, lembra. 

Habacuk Mariano e seu filho dormiram no caminhão quando a enchente atingiu sua casa.

Durante a manhã de hoje a prefeitura do Município se reuniu com órgãos como a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros “para tomar as devidas medidas, encontrar uma maneira viável e emergencial para tratar o assunto”, afirmou o secretário de Infraestrutura de Itapipoca, Everardo Barroso. 

“Após a reunião, vamos in loco ver tudo”, explicou Barroso. “Não podemos esquecer que nossa cidade foi instalada no Sopé de uma serra, então passa por dentro da cidade vários córregos e quando existe uma chuva torrencial, como aconteceu nesta madrugada, é claro que enche tudo”. 

Águas que preocupam 

Itapipoca, conhecida como “cidade dos três climas”, dormiu e amanheceu embaixo de chuva na manhã desta quinta-feira (11). Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), choveu 122,6 milímetros de 7h nesta quarta-feira às 7h desta quinta. 

As águas da chuva que invadiram as casas, causaram também falta de energia, segundo moradores do Cohab. A chuva desta quarta (10) ocasionou enchente também em outros pontos da cidade, como o bairro Madalena. O Município viu ainda as pontes que passam sobre os rios do Córrego do Bode e do Assentamento Maceió serem destruídas pelas fortes precipitações da última segunda (8). 

“Perdi tudo. Só escapou o fogão, porque não foi atingido pela água, mas até meu carvão, que uso para cozinhar no fogareiro foi embora”, relata a dona de casa Francisca Samara. Ela foi uma das últimas a sair de casa. Francisca estava dormindo e acordou “já debaixo d’água”, conforme lembra. Despertada pelo cachorro, Samara teve a ajuda do marido para sair da residência. Eles buscaram abrigo na casa da sogra de Francisca.  

Além de Samara, Jonatas e Habacuk, que sofreram com as casas invadidas pela água, Analicia Gonçalves, que está grávida, também passou por momentos difíceis durante a madrugada. A casa da jovem tem um degrau, construído para tentar impedir a entrada da água, mas não adiantou. 


COMENTE ABAIXO ⬇

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.