Presidente Lula critica exigências da União Europeia em acordo com o Mercosul

Em discurso na Cúpula para um Novo Pacto Financeiro Global, Lula ressalta necessidade de acordos comerciais mais justos e questiona ameaças da UE.

Publicidade

Mais lidas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressou sua preocupação com as exigências feitas pela União Europeia (UE) para a conclusão de um acordo com o Mercosul, durante seu discurso na Cúpula para um Novo Pacto Financeiro Global, realizada em Paris. Lula enfatizou a importância de uma relação justa e igualitária entre os blocos comerciais e manifestou sua vontade de iniciar um diálogo para solucionar o impasse.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Lula afirmou que está ansioso para firmar um acordo com a União Europeia, porém, ressaltou que a carta adicional proposta pela UE impede a concretização do acordo. O presidente brasileiro prometeu enviar uma resposta às demandas europeias, mas destacou a necessidade de iniciar uma discussão para encontrar um consenso viável.

Durante seu pronunciamento, Lula chamou a atenção para a construção democrática da União Europeia, considerando-a um patrimônio da humanidade. Ele mencionou as duas guerras mundiais que assolaram o continente e elogiou a capacidade da UE em estabelecer um Parlamento e conduzir debates democráticos mesmo diante de divergências. O ex-presidente expressou seu desejo de que a América do Sul siga o mesmo caminho.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, Lula expressou sua intenção de criar novos blocos regionais para negociar com a União Europeia. Ele também apontou a necessidade de reformas no funcionamento do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI), defendendo uma maior representatividade e participação de diferentes atores nas decisões dessas instituições internacionais.

O presidente francês, Emmanuel Macron, anfitrião do evento, acompanhou o discurso de Lula. O líder brasileiro agradeceu a reunião e ressaltou sua determinação em lutar nos próximos três anos em que presidirá o Brasil.

O posicionamento de Lula em relação às exigências da União Europeia evidencia a busca por equidade nas relações comerciais e a necessidade de um diálogo construtivo entre as partes envolvidas. Resta agora aguardar as respostas e o desenrolar das negociações entre o Mercosul e a UE, visando alcançar um acordo que atenda aos interesses de ambos os blocos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!