Aumento alarmante de casos de cólera no mundo preocupa a Organização Mundial da Saúde (OMS)

2022 registra mais que o dobro de casos em relação a 2021, com 44 países afetados e desafios crescentes para o controle da doença.

Publicidade

Mais lidas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um alerta nesta semana sobre o preocupante aumento de casos de cólera em todo o mundo. Os números alarmantes revelam que em 2022 houve mais que o dobro de casos da doença em comparação a 2021, com um total de 472.697 casos registrados, em contraste com os 223.370 do ano anterior. Além disso, a cólera agora atinge 44 países, representando um aumento de 25% em relação aos 35 países afetados no ano passado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A OMS destaca que não apenas houve mais surtos, mas também que esses surtos estão se tornando maiores, apresentando desafios significativos para o controle da doença. Sete países em particular – Afeganistão, Camarões, República Democrática do Congo, Malawi, Nigéria, Somália, Síria e República Árabe – reportaram mais de 10 mil casos suspeitos ou confirmados no ano passado, demonstrando a gravidade da situação.

A preocupação da OMS não se limita apenas a 2022, pois os dados sugerem que em 2023 o aumento de casos deve continuar. Atualmente, 24 países já confirmaram surtos de cólera em andamento, e alguns enfrentam o que a OMS classifica como “crises agudas” causadas pela doença.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A cólera é uma infecção intestinal aguda que se propaga por meio de alimentos e água contaminados com fezes contendo a bactéria Vibrio cholerae. A situação é agravada pela falta de acesso a água potável, saneamento adequado, pobreza e conflitos. A OMS alerta que as mudanças climáticas também desempenham um papel significativo no ressurgimento da cólera, com eventos climáticos extremos, como inundações, secas e ciclones, desencadeando novos surtos e agravando os já existentes.

Além disso, o aumento na procura por mecanismos de combate à cólera representa um desafio adicional para os esforços globais de controle de doenças. Desde outubro do ano passado, o Grupo de Coordenação Internacional (ICG), responsável pelo abastecimento de emergência de vacinas, optou por suspender o esquema padrão de vacinação em duas doses nas campanhas de resposta a surtos de cólera, adotando uma abordagem com dose única.

A OMS enfatiza a urgência de uma resposta global coordenada para combater a cólera e mitigar suas causas subjacentes, incluindo a melhoria do acesso à água potável e ao saneamento básico, bem como a adaptação às mudanças climáticas. A situação atual exige atenção imediata e ação concertada para evitar uma escalada ainda mais preocupante dessa doença potencialmente fatal em todo o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!