BNDES e Fida lançam edital Sertão Vivo para impulsionar segurança alimentar no Nordeste

Parceria entre BNDES e Fida disponibilizará R$ 1 bilhão para projetos de adaptação climática em comunidades rurais.

Publicidade

Mais lidas

Nesta terça-feira (18), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em colaboração com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), da Organização das Nações Unidas (ONU), anunciou o edital Sertão Vivo, que beneficiará cerca de 250 mil famílias de produtores rurais em quatro estados do semiárido nordestino. O projeto disponibilizará aproximadamente R$ 1 bilhão destinado ao desenvolvimento de projetos de segurança alimentar e adaptação às mudanças climáticas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A cerimônia de lançamento aconteceu na sede do Consórcio Nordeste, em Brasília, e contou com a presença dos nove governadores da região, além dos presidentes do BNDES e do Fida, representantes da Agricultura Familiar e da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

A iniciativa visa beneficiar cerca de 1 milhão de pessoas em uma área total de 84 mil hectares, com foco especial nos agricultores familiares, incluindo comunidades tradicionais e povos indígenas, sendo 40% mulheres e 50% jovens. Os beneficiários receberão capacitação para fortalecer a resiliência dos sistemas de produção agrícola, preservar recursos hídricos e restaurar ecossistemas degradados.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O edital selecionará até quatro projetos que receberão apoio direto reembolsável e não reembolsável do BNDES. A parte não reembolsável será utilizada para instalar 21 mil cisternas e 16 mil unidades para tratamento e reuso de águas residuais domésticas. Embora a primeira fase do programa atenda apenas a quatro estados, o presidente do BNDES manifestou o desejo de expandi-lo para os nove estados do Nordeste.

A maior parte dos recursos provém dos US$ 129,5 milhões (cerca de R$ 630 milhões) repassados pelo Fida ao BNDES. Os estados selecionados, juntamente com o BNDES, acrescentarão mais US$ 73 milhões (cerca de R$ 350,4 milhões) como contrapartida, totalizando quase R$ 1,05 bilhão.

O Fida, uma agência especializada das Nações Unidas, opera com recursos do Green Climate Fund (GCF), uma entidade que financia a adoção das metas do Acordo de Paris com juros baixos.

O presidente da Fida ressaltou que o projeto é essencial para preservar a caatinga, bioma ameaçado pelas mudanças climáticas, enquanto o presidente do BNDES destacou que o programa é pioneiro ao trazer uma agência internacional para a experiência brasileira no enfrentamento à pobreza rural e no combate à fome.

Para o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, a parceria com o Fida será uma oportunidade de aprendizado para lidar com o aquecimento global e aprimorar a agricultura regenerativa.

A governadora Fátima Bezerra, coordenadora política da Câmara Técnica da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste, enalteceu a parceria entre o BNDES, o Fida e os estados selecionados, que beneficiará as comunidades rurais com recursos repassados diretamente pelos estados escolhidos.

Mais informações sobre o edital Sertão Vivo podem ser consultadas na página do BNDES dedicada à iniciativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!