Bolsa Família: parcela de agosto com adicional de R$ 50 é paga aos beneficiários com NIS final 6

Terceira parcela do benefício, somada a novos adicionais, amplia apoio a famílias carentes em todo o país.

Publicidade

Mais lidas

Nesta sexta-feira, 25 de agosto, a Caixa Econômica Federal realiza o pagamento da parcela referente ao mês de agosto do novo Bolsa Família. Os beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 6 serão contemplados nessa etapa. Essa parcela marca a terceira distribuição do benefício que inclui o adicional de R$ 50, destinado a famílias com gestantes e filhos entre 7 e 18 anos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Desde o mês de março, o Bolsa Família implementou mais uma adição ao benefício, oferecendo um acréscimo de R$ 150 para famílias com crianças de até 6 anos. Somados, esses adicionais têm o potencial de elevar o valor total do auxílio para até R$ 900, para aqueles que atendem aos critérios para receber ambos os benefícios.

O valor base do Bolsa Família é de R$ 600, mas com as adições mencionadas, o valor médio do benefício avança para R$ 686,04. De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, cerca de 21,14 milhões de famílias serão beneficiadas pelo programa neste mês, gerando um dispêndio de R$ 14,25 bilhões.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Uma mudança significativa ocorreu a partir de julho, quando houve a integração entre os dados do Bolsa Família e o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Por meio dessa união de informações, foi possível identificar e cancelar a participação de 99,7 mil famílias no programa, devido à renda superar os limites estipulados. O CNIS, que conta com um vasto registro de informações sobre renda, emprego formal e benefícios assistenciais, permitiu esse cruzamento de dados.

Em contrapartida, outras 300 mil famílias foram incluídas no programa em agosto, graças à estratégia de busca ativa. Essa abordagem, fundamentada na reestruturação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), concentra-se em identificar e incluir indivíduos mais vulneráveis que têm direito ao benefício, mas que não estavam recebendo. Desde março, mais de 1,6 milhão de famílias foram incorporadas ao Bolsa Família por meio dessa iniciativa.

A regra de proteção, implementada em junho, beneficia quase 2,1 milhões de famílias em agosto. Essa medida permite que famílias cujos membros encontram emprego e aumentam a renda recebam 50% do valor do benefício pelo período de até dois anos, contanto que cada integrante receba até meio salário mínimo. O benefício médio para essas famílias ficou em R$ 377,42.

O programa passou por uma reestruturação ao longo deste ano, recuperando sua denominação original de “Bolsa Família”. A garantia de um valor mínimo de R$ 600 foi estabelecida após a aprovação da Emenda Constitucional da Transição, permitindo despesas de até R$ 145 bilhões fora do teto de gastos, dos quais R$ 70 bilhões são alocados para custear o benefício.

O acréscimo de R$ 150, implementado em março, derivou de uma revisão minuciosa realizada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com o objetivo de eliminar fraudes. Conforme balanço recente divulgado em abril, cerca de 3 milhões de indivíduos com irregularidades no cadastro tiveram seus benefícios interrompidos.

O pagamento tradicional do Bolsa Família ocorre nos últimos dez dias úteis de cada mês. Os beneficiários podem obter informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas por meio do aplicativo Caixa Tem, utilizado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Além do Bolsa Família, o Auxílio Gás também está sendo pago hoje às famílias cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com NIS final 6. O valor desse auxílio foi reduzido para R$ 108 devido aos recentes decréscimos nos preços do botijão.

Com vigência prevista até o final de 2026, o programa Auxílio Gás beneficia 5,63 milhões de famílias neste mês. Em virtude da Emenda Constitucional da Transição e da medida provisória do Novo Bolsa Família, o auxílio permanecerá em 100% do valor médio do botijão de 13 kg até o final do ano.

Receberão o Auxílio Gás apenas aqueles que estão inscritos no CadÚnico e que tenham pelo menos um membro da família beneficiário do Benefício de Prestação Continuada (BPC). A legislação que criou o programa estabelece prioridade para mulheres responsáveis pelo sustento familiar, bem como para mulheres vítimas de violência doméstica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!