Ministério da Fazenda autoriza renegociação de dívidas pelo programa Desenrola Brasil

Programa Emergencial de Renegociação de Dívidas de Pessoas Físicas Inadimplentes beneficiará milhões de brasileiros

Publicidade

Mais lidas

Nesta sexta-feira (14), o Ministério da Fazenda anunciou a autorização para as instituições financeiras credenciadas pelo Banco Central (BC) iniciarem a renegociação de dívidas da Faixa 2 do Programa Emergencial de Renegociação de Dívidas de Pessoas Físicas Inadimplentes, conhecido como Desenrola Brasil. A medida, publicada no Diário Oficial da União, entrará em vigor a partir de segunda-feira (17).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A Faixa 2 do programa destina-se a atender a população com renda mensal de dois salários mínimos (R$2.640) a R$20 mil. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou nas redes sociais o início do programa, que tem como objetivo beneficiar cerca de 70 milhões de brasileiros que possuem dívidas.

“Ninguém gosta de ficar com o nome sujo. Vamos ajudar o povo a reconquistar a dignidade”, afirmou o presidente.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De acordo com as novas regras, as dívidas poderão ser quitadas nos canais indicados pelos agentes financeiros e parceladas em, no mínimo, 12 prestações. É necessário ter sido incluído no cadastro de inadimplentes até 31 de dezembro de 2022 para participar do programa.

Além disso, nesta etapa do Desenrola Brasil, dívidas bancárias de até R$100 serão automaticamente perdoadas pelas instituições financeiras, retirando o nome das pessoas dos cadastros de devedores. O Ministério da Fazenda estima que aproximadamente 1,5 milhão de pessoas deixarão de ter restrições e poderão voltar a ter acesso a crédito.

A portaria também estabelece as regras para a habilitação de agentes financeiros na Faixa 1 do Desenrola Brasil. Os agentes devem solicitar habilitação na plataforma do Fundo Garantidor de Operações Desenrola Brasil, cumprindo os critérios negociais e tecnológicos estipulados no Manual de Procedimentos Operacionais do FGO Desenrola Brasil. Informações como o número de contrato, data de negativação e inserção no cadastro de inadimplência, além dos três dígitos iniciais do número do CPF do devedor, devem ser fornecidas.

A partir de setembro, pessoas com dívidas de até R$5 mil e que tenham renda de até dois salários mínimos, ou estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), poderão participar do Desenrola Brasil na Faixa 1.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, informou que a próxima etapa do programa será a realização de leilões de desconto, com base nas informações dos agentes financeiros sobre os créditos negativados.

“Quanto maior for o desconto dado pelo credor, o devedor conseguirá fazer a sua programação de parcelamento, com garantia do Tesouro Nacional”, afirmou Haddad.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!