Shadow of the Tomb Raider traz uma nova Lara em meio a novas aventuras

A jornada de origem da personagem mais importante no mundo dos games se iniciou em 2013, com Tomb Raider. O título de 2013 veio com a promessa de trazer um lado mais humano da personagem, ao invés de um ícone invencível que estávamos costumados a ver. O game recebeu ótimas críticas, o que rendeu uma sequência em 2015. Rise of the Tomb Raider, continuava a jornada de descobrimento de Lara, ao mesmo tempo defendia legado de seu pai. A sequência conseguiu ser muito melhor que o título anterior. Assim, deixando brechas para uma, possível, continuação ou o fim desse ciclo de origem.

E assim, chegamos em 2018. Shadow of the Tomb Raider será a terceira parcela da aventura de Lara. No entanto, diferentemente dos títulos antecedentes, este jornada traz um peso dramático nunca visto antes. Toda a jornada de Lara, todas suas atitudes ao decorrer desta aventura dirão quem é a Lara Croft de verdade. Segredos, uma Lara fria e calculista, e um mundo exuberante são umas das atrações do terceiro capitulo de Lara Croft.

Torne-se Tomb Raider

A nova aventura de Lara se inicia quando a ladra de tumbas vai em busca de um artefato maia. Durante sua busca ela acaba desencadeando um evento cataclísmico e dando iniciou ao apocalipse maia. Além disso, o artefato está em mãos erradas. Assim, se constrói a nova aventura de Lara Croft.

Com disse anteriormente, Shadow of the Tomb Raider traz um peso dramático de seu inicio ao fim. O game faz questão de retratar o conflito pessoal de Lara pelas inúmeras atitudes ao longo de sua jornada. Ao longo que está aventura se constrói vemos uma evolução significativa no relacionamento de Noah e Lara. Para que não conheci Noah, este personagem apareceu em Tomb Raider (2013). A forma como o personagem evoluiu no núcleo narrativo é impressionante. Esta amizade entre os dois criou um vinculo bem desenvolvido que levado durante os diálogos ou, até mesmo, nas animações. Sendo assim, um dos pontos mais relevantes dentro da trama. O senso de proteção de Noah e a confiança que Lara nele, é um dos pontos culminantes desta aventura.

Sobretudo, a jornada de Lara não se baseia apenas em algo sombrio e dramático. Shadow of the Tomb Raider conseguiu explorar algo inexplorável da vida de Lara. O game se divide em momentos no presente e os da sua infância. As experiências de Lara durante a infância sejam elas boas ou más, é uma ótima expansão narrativa, que nos simpatiza ainda mais pela personagem. Concluindo, a localização do game aqui no Brasil está excelente. No entanto, há alguns problemas técnicos na sincronia labial e no volume dos diálogos que não atrapalham, mas tem sua parcela.

O tempo fez bem a Lara Croft

Ao longo dos conseguintes lançamentos, a franquia conseguiu estabelecer um sistema de progressão bem variado. Este terceiro título traz uma estrutura de progressão e mecânicas de gameplay expandidas e aprimoradas. O sistema de craft, que é bem característico da franquia, está bem variado. Além das típicas criações de flechas e melhorias em armas, agora foi adicionado à mecânica herbalismo. Lara coleta erva no cenário para determinadas vantagens. Além disso, temos a criação de trajes, onde cada vestimenta tem uma vantagem dentro do ambiente hostil que você está. Quanto o sistema de habilidades, ele continua com a mesma estrutura com três categorias, porém a variedade de habilidades para se adquirir está bem maior.

Sobretudo, uma das promessas de Shadow of the Tomb Raider foi trazer uma Lara mais calculista e letal. Dito isso, seu gameplay está bem mais refinado no que diz respeito aos combates e as mecânicas de exploração. No entanto, suas mecânicas de stealth não foram bem polidas. Nos momentos de combate é impossível se esconder. Lara não consegue escorar na parede, em nenhum local, exceto em locais específicos como arbustos ou paredes com lama. Este pequeno problema compromete bastante nos confrontos onde devemos nos esconder e buscar outra estratégia. Por outro lado, as mecânicas de rapel, escalada e exploração subaquática respondem bem e dão uma dinâmica a mais no gameplay.

O ambiente é sua principal arma

O ambiente é um dos aspectos vitais nesta nova aventura de Lara. Os cenários além de nos encantar com suas paisagens ele é, também, uma extensão do arsenal da exploradora. Arbustos e locais cobertos de lama facilitam o trabalho de Lara na hora de finalizar seus inimigos. No entanto, este ambiente é hostil e você é presa fácil dos animais que lá circulam.

Sobretudo, vale ressaltar, o nível de detalhes e fidelidade que estes ambientes possuem. A direção de arte por trás de cada novo local descoberto, as engenhosas estruturas e monumentos antigos, fazem desta aventura única e linda de se ver. Como em todos os títulos anteriores, e não foi diferente com este, o senso de exploração continua. A exploração está induzida ao jogador mais do que nunca. Os cenários estão mais abertos com inúmeros caminhos alternativos cheios de segredos para serem descobertos com tumbas secretas e criptas. Estes locais estão bem mais criativos e desafiadores. Tanto as tumbas e as criptas possuem uma recompensam quando completadas e encontradas, respectivamente.

Ainda sobre os cenários, Shadow of the Tomb Raider possuem um Hub, considerado o maior da série. Este local social há inúmeros NPC’s que ofereceram a Lara alguns trabalhos em paralelo a jornada principal. A princípio, estas missões secundárias é uma das novidades deste novo título. Assim, temos uma dinâmica e uma extensão da narrativa, com novos segredos descobertos, novas histórias que agregam a trama principal. No entanto, o senso induzido de exploração meio que ofuscou um pouco os confortos intensos que os títulos anteriores trouxeram. Mesmo, assim, com pouca frequência, os confrontos continuam intensos e brutais.

E o que o futuro nos reserva?

Com o lançamento e a conclusão do terceiro capitulo da origem de Lara Croft, surgi uma incógnita. O que os futuros títulos trarão, se é que terão novos títulos. Visto que, a jornada para se tornar a autêntica e conhecida Tomb Raider chegou ao fim.

Agora, o que resta são os jogos de PS1 e os títulos anteriores a esta nova trilogia. Como a Cristal Dynamics vai fazer para perdurar o sucesso desta trilogia sabendo que os títulos anteriores possuem uma cronologia? Enfim, quanto á isso só o tempo dirá…


COMENTE ABAIXO ⬇

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.