Câmara dos Deputados aprova reforma tributária sobre o consumo por ampla maioria

Com 365 votos a favor, 116 contra e uma abstenção, o parlamento brasileiro conclui mais de 30 anos de discussões e entrega um novo sistema tributário para o país.

Publicidade

Mais lidas

A Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da tão aguardada reforma tributária sobre o consumo. Com uma expressiva votação de 365 a favor, 116 contra e uma abstenção, os parlamentares também deliberaram sobre dois destaques antes de encerrar a histórica sessão. O primeiro manteve o texto original, enquanto o segundo, por 293 votos a favor e 193 contrários, retirou as armas e munições do imposto seletivo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A notícia foi anunciada pelo deputado José Guimarães (PT-CE), líder do Governo na Câmara, que afirmou que, como a reforma não sofreu alterações de mérito em relação ao texto aprovado pelo Senado, a promulgação da emenda constitucional ocorrerá na próxima semana.

“Neste momento histórico, o parlamento brasileiro entregou um novo sistema tributário. Esse sistema que nós temos está falido há muito tempo. A carga [tributária] é altíssima no país, mas estamos reduzindo porque aumentamos a base de arrecadação. Hoje, quem paga são os que menos têm e mais precisam”, declarou o relator da reforma e líder da maioria na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A sessão, que teve início por volta das 15h, foi realizada de maneira híbrida, com alguns parlamentares no plenário e outros votando pela internet. Apesar das tentativas de obstrução por parte da oposição, o presidente da Casa, Arthur Lira, manteve a votação dos dois turnos da PEC nesta sexta-feira.

O relator, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), destacou a retirada de pontos incluídos pelo Senado no início de novembro, visando reduzir a alíquota padrão do futuro Imposto sobre Valor Adicionado (IVA). A aprovação da reforma tributária encerra um ciclo de mais de 30 anos de discussões, após sucessivas propostas que não prosperaram nas últimas décadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!