Relatório da ONU indica que o fim da Aids está ao alcance e depende de escolhas políticas e financeiras

Metas de combate à Aids estão sendo alcançadas, mas desigualdades e obstáculos persistem, afirma relatório do Unaids

Publicidade

Mais lidas

Um novo relatório divulgado hoje pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) revela que o fim da Aids até 2030 é uma possibilidade real e depende das escolhas políticas e financeiras dos países e lideranças empenhados nessa causa. O documento intitulado “O Caminho que põe fim à Aids” apresenta dados e estudos de casos que evidenciam o progresso atual da doença em todo o mundo, além de apontar os caminhos para acabar com a epidemia até a próxima década.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De acordo com o Unaids, alcançar esse objetivo não apenas contribuirá para a erradicação da Aids, mas também fortalecerá a capacidade global de lidar com futuras pandemias e avançar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas.

O relatório destaca que países como Botsuana, Essuatíni, Ruanda, República Unida da Tanzânia e Zimbábue já atingiram as metas 95-95-95. Essas metas representam o seguinte: 95% das pessoas vivendo com HIV conhecem seu status sorológico; 95% das pessoas diagnosticadas com HIV estão recebendo tratamento antirretroviral; e 95% das pessoas em tratamento têm a carga viral suprimida.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, outras 16 nações, incluindo oito países da África subsaariana, estão próximas de alcançar essas metas. No entanto, o Brasil, que tem metas de 88-83-95, ainda enfrenta obstáculos devido às desigualdades existentes, que dificultam o acesso pleno de pessoas e grupos em situação de vulnerabilidade aos recursos de prevenção e tratamento do HIV.

A diretora de Igualdades e Direitos do Unaids Brasil, Ariadne Ribeiro Ferreira, destaca que iniciativas legislativas punitivas contra a comunidade LGBTQIA+, especialmente pessoas trans, podem aumentar o estigma e a discriminação, prejudicando o alcance das metas de combate à Aids até 2030.

Segundo a diretora executiva do Unaids, Winnie Byanyima, o fim da Aids representa uma oportunidade para as lideranças atuais deixarem um legado poderoso para o futuro. Ela destaca que essas lideranças podem ser lembradas pelas gerações futuras como aquelas que puseram fim à pandemia mais mortal do mundo, salvando milhões de vidas e protegendo a saúde de todos.

O relatório ressalta que o sucesso na resposta ao HIV está diretamente ligado à liderança política baseada em respeito à ciência, dados e evidências; combate às desigualdades que impedem o progresso na resposta ao HIV e outras pandemias; fortalecimento das comunidades e organizações da sociedade civil; e garantia de financiamento adequado e sustentável.

Outro ponto destacado no relatório é que o progresso no combate à Aids tem sido mais notável em países e regiões que receberam maiores investimentos financeiros. Na África Oriental e Austral, por exemplo, as novas infecções por HIV foram reduzidas em 57% desde 2010, enquanto o número de pessoas em tratamento antirretroviral triplicou, alcançando 29,8 milhões em 2022.

No entanto, o relatório também alerta para a diminuição do financiamento para o HIV em 2022, tanto de fontes internacionais quanto domésticas, retornando aos níveis de 2013. Os recursos disponíveis totalizaram US$ 20,8 bilhões, muito aquém dos US$ 29,3 bilhões necessários até 2025.

Para alcançar o fim da Aids, o Unaids ressalta a importância de investimentos focados em sistemas de saúde integrados, legislação não discriminatória, igualdade de gênero e fortalecimento das redes comunitárias de assistência e apoio.

A diretora executiva do Unaids, Winnie Byanyima, conclui afirmando que os dados e fatos compartilhados no relatório mostram que o mundo ainda não está no caminho certo, mas destacam que é possível chegar lá. Ela reforça que o caminho a seguir é claro e depende da vontade política estimulada por meio de investimentos sustentáveis no combate ao HIV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!