Programa Voa Brasil oferecerá passagens aéreas por R$ 200 e poderá chegar a 1,5 milhão de bilhetes por mês

Iniciativa do ministro de Portos e Aeroportos visa beneficiar pessoas que não voaram nos últimos 12 meses e conta com a adesão das principais companhias aéreas

Publicidade

Mais lidas

O ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França, anunciou que o programa Voa Brasil, que oferecerá passagens aéreas por apenas R$ 200, poderá disponibilizar até 1,5 milhão de bilhetes por mês. O projeto tem previsão de início para o mês de agosto e foi divulgado durante uma aula magna no Instituto de Geografia, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na última quinta-feira (13).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O objetivo principal do programa é beneficiar pessoas que não realizaram voos nos últimos 12 meses. Cada trecho de passagem será fixado em R$ 200 e cada pessoa poderá adquirir no máximo quatro trechos.

O ministro explicou que o programa será iniciado com aposentados, pensionistas e, posteriormente, servidores públicos. Ele ressaltou que, inicialmente, o programa terá capacidade para atender 1,5 milhão de passagens por mês, mas será implementado gradualmente. É importante destacar que o programa não utilizará recursos públicos, sendo que serão utilizados apenas os assentos vazios das empresas aéreas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

França informou que as companhias Latam, Gol e Azul já aderiram ao projeto. Ele também ressaltou que é esperada uma grande procura por essas passagens, o que permitirá que os voos sejam realizados com alta ocupação. Essa alta ocupação, por sua vez, possibilitará a ampliação dos voos e o fortalecimento dos aeroportos regionais.

O programa Voa Brasil tem como estratégia a venda de bilhetes mais baratos fora da alta temporada, em dois períodos específicos: de fevereiro a junho e de agosto a novembro. Esses períodos foram escolhidos devido à ociosidade média de 21% nos voos domésticos nesses meses.

Com essa iniciativa, espera-se que mais pessoas tenham acesso a viagens aéreas a preços acessíveis, contribuindo para o desenvolvimento do setor e para a integração do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Conteúdo protegido!

 

Você não tem permissão para copiar/reproduzir nosso conteúdo!

Enviar mensagem
1
Fale conosco
Envia sua notícia ou denúncia para a nossa equipe de jornalismo!